Anúncios de vídeo no Facebook e Instagram: 8 erros que você não deve cometer

anúncios de vídeo-min

30/10/2019 | MARKETING DIGITAL

Anúncios de vídeo no Facebook e Instagram: 8 erros que você não deve cometer

Anúncios de vídeo no Facebook e Instagram podem gerar um grande retorno, se você fizer da maneira correta (seguindo os 7 passos essenciais que já publicamos anteriormente – clique aqui para ler), e não cometer os erros que vamos apresentar agora neste artigo.

Acompanhe o artigo para ajustar as suas estratégias de mídias pagas!

1 Não segmentar o público-alvo

Um dos erros mais comuns na hora de planejar os anúncios de vídeo, tanto no Facebook quanto no Instagram, é não dedicar um bom tempo e atenção na segmentação da audiência. Esse passo é fundamental, uma vez que quanto mais você direcionar os seus anúncios, mais inclinada a sua audiência estará para assistir ao vídeo até o fim (guarde isso!)

Uma dica para fazer uma boa segmentação de público é criar uma persona para o seu vídeo, pois ajudará a definir as características principais do seu consumidor ideal. Você pode definir a persona com base em alguns fatores que o Facebook utiliza para criar a segmentação de público: faixa etária, sexo, situação familiar, interesses, afinidades, intenção e eventos importantes.

Você pode ainda segmentar quem verá o anúncio por palavras-chave ou por remarketing, buscando atingir justamente as pessoas que já interagiram em alguma campanha anterior.

Dica: a ferramenta Audience Insights, do Facebook, oferece insights poderosos sobre seu público-alvo, de forma aprofundada e que tem como base as pessoas que já curtem a sua página. A ferramenta oferece dados como níveis de escolaridade, status de relacionamento, hobbies e muito mais.

2 Não ter um objetivo definido para o anúncio

Todo anúncio possui uma razão de estar ali, correto? Os objetivos podem ser vários e, defini-los previamente, irá direcionar todo o seu trabalho e evitar desperdícios do orçamento.

O ideal é que você utilize os objetivos que o próprio Facebook já disponibiliza na sua plataforma. São eles: Reconhecimento da marca, alcance, instalações do aplicativo, tráfego, envolvimento, geração de cadastros, mensagens, visualizações do vídeo, conversões e tráfego para o estabelecimento.

Tratando-se de anúncios de vídeo, o mais recomendado é utilizá-los para reconhecimento da marca, onde você poderá realizar campanhas mais específicas de acordo com as visualizações que aquele vídeo obteve.

Leia também:

Como construir uma marca nas redes sociais usando vídeos?

3 Fazer anúncios chatos

Garanta que o seu vídeo seja atrativo, interessante, e que gere identificação com a audiência que você quer impactar. Dica de especialista: chame a atenção já nos primeiros três segundos do vídeo, e garanta que a sua marca apareça logo no início de alguma forma. Um bom roteiro será fundamental para isso. Mas, principalmente, defina a ideia principal do seu vídeo e defenda-a até o fim.

Além disso, lembre-se que vídeos curtos (em média,15 segundos), aumentam a probabilidade das pessoas o assistirem até o fim. Isso irá ajudar, também, para os posicionamentos no Instagram Stories e no In-stream do Facebook.

4 Não adaptar o vídeo para ser visto com o som desligado

Você já deve ter percebido que muitos vídeos hoje em dia possuem legendas e elementos gráficos, não é mesmo? Isso acontece porque eles foram adaptados para que sejam assistidos mesmo com o áudio desligado, principalmente por quem está usando o celular em um local público.

Logo, garanta que seu vídeo será entendido no som mudo.

5 Não conhecer o melhor formato para o seu anúncio

Seus vídeos precisam ter uma boa resolução de imagem. Por isso, estude os requisitos de vídeo e resolução para cada canal de anúncio, tanto nos posicionamentos do Facebook quanto do Instagram.

Para te ajudar nisso, você pode conferir o infográfico do próprio Facebook, que mostra as melhores resoluções para cada formato e canal de anúncio. 

Dica: embora as pessoas possam assistir a um vídeo na horizontal, quando se trata de anúncios de vídeo, o melhor é priorizar vídeos em formato vertical, pois o usuário não precisa virar o celular para assisti-lo na horizontal.

Aproveite e veja como utilizar vídeos nos stories do Instagram. Confira este artigo:

Vídeo nos Stories — aprenda a utilizar a ferramenta a seu favor

6 Esquecer do título, thumbnail e descrição do vídeo

Tá aí outro erro que muitos profissionais cometem ao não utilizar com estratégia esses campos.

Utilize o  título para destacar a palavra-chave principal do vídeo em questão. Na descrição do vídeo, use gatilhos que instiguem a curiosidade do usuário em assisti-lo até o final. 

Além disso, elabore uma thumbnail (imagem estática para ser capa do vídeo) com uma chamada clara para o conteúdo. 

7 Esquecer de otimizar os anúncios

Outro erro muito comum ao anunciar vídeos nas redes sociais é “esquecê-lo” lá e deixá-lo rodando sem acompanhar o seu desempenho todos os dias e em tempo real. É comum, inclusive, só voltar nele quando acaba o prazo da campanha.

Lembre-se que nenhum anúncio é perfeito, por mais que você tenha feito um estudo aprofundado do público-alvo. Irão existir formatos e canais em que o anúncio terá resultados melhores (com mais visualizações e taxa de cliques) do que outros. É aí que você deverá investir mais nesses canais, alocando parte da verba destinada para estes anúncios sem perder tempo.

Dica: o Facebook já realiza de forma automática a otimização do orçamento da campanha (CBO). Ou seja, ele identifica onde o seu vídeo está gerando mais visualizações (no caso em que o objetivo foi definido como Reconhecimento de marca), e aloca uma parte maior do orçamento para lá.

E ainda: otimizar também significa realizar testes A/B, principalmente para verificar como o anúncio vai rodar tanto no desktop quanto em dispositivos móveis. Garanta uma boa experiência do usuário enquanto ele assiste ao vídeo, e certamente você terá mais visualizações e engajamento, ok?

8 Não incluir um Call to Action

Beleza: você produziu um vídeo impactante e atraente para a sua audiência. Mas qual decisão você espera que o usuário tome ao terminar de assisti-lo? Ainda que o objetivo seja reconhecimento da marca, vale deixar claro no vídeo o que ele deve fazer logo em seguida.

O chamado Call to Action (CTA) ou Chamada para Ação pode ser acessar um site, baixar um aplicativo, curtir a página ou ligar para um número de telefone. O melhor é que o CTA esteja alinhado com o objetivo que você definiu para a sua campanha de vídeo.

Para saber mais sobre como analisar o desempenho do seu vídeo, leia este artigo: Vídeo Marketing: como analisar resultados corretamente?

Você também vai gostar de ler

producao-de-video-conteudo-em-video

25.09.2019 | MARKETING DIGITAL

6 marcas que estão inovando com a produção de vídeos

Se você investe na produção de vídeos ou pretende investir, mas está carente de boas referências, este artigo é para você.

Saiba Mais